18ª: AVOOS 

AVOOS
Francisco Gregório contando causos
Adesivos da memória
pipas sendo feitos
memórias e voos
o que desperta a sua memória?
títulos às memórias
enfeites
pipa
pipa
pipa
pipa
pipa
pipa
saindo para passear
galeria de memórias
prontos para o voo
prontos para voar!
AVOOS
Francisco nas alturas
sábado de passeio
passear lembranças
trocar experiências
GRAVAÇÃO DA VIDEOPERFORMANCE AVOOS
GRAVAÇÃO DA VIDEOPERFORMANCE AVOOS
contador de histórias
Francisco Gregório
Pedro Martins registrou a atividade
mediação da atividade
Comemorando o Dia do Idoso!
AVOOS

Assista o vídeo da ação! E clique nas imagens acima para visualizá-las em tamanho ampliado.

Todos os direitos dessas imagens estão reservados ao Projeto Performanciã.

No dia 29 de setembro de 2018, foi realizada no Sesc Parque Radical, em Deodoro, a performance AVOOS - levando as memórias para passear

 AÇÃO: 

A ação foi feita para a celebração do Dia Internacional do Idoso (1 de outubro) no Sesc Parque Radical, como atividade para um grupo de cerca de 25 idosos. 

AVOOS é uma performance de memória. A pipa, como elemento de composição da parte visual da performance, foi escolhida por ser um elemento popular, ligado à memória e ao poder relacional e intergeracional como jogo e brinquedo. A pipa como tela branca para expressão de memórias a serem ativadas durante a primeira parte da atividade. A pipa como elemento suspenso, que vai e retorna, se aproxima e se distancia, assim como a memória, puxada a fio e fluindo com os ventos.

Como inspiração, temos o exemplo do artista, escritor, oficineiro, contador de histórias e "pipeiro de memórias" Francisco Gregório, que recebeu de herança de sua avó uma trouxa de retalhos, tesourinha, linhas e agulhas. Com essa herança, Francisco começou a confeccionar pipas como quadros de suas memórias. Pipas essas que são enquadradas e ganham espaços em paredes, como uma galeria de reminiscências.

 1ª parte: 

No primeiro momento da atividade, nos encontramos com o grupo participante em um espaço com mesas e cadeiras no Sesc Parque Radical, que fica em um campo de provas olímpicas - espaço administrado pela prefeitura do Rio e ativado pelo Sesc. Entre o grupo, composto por maioria de idosos, também tivemos a presença de duas adolescentes e duas crianças, compondo um cenário intergeracional de aprendizado e troca.

 

Francisco Gregório abriu a atividade contando histórias e memórias e falando de sua relação com a pipa. Depois apresentamos a nossa proposta de que cada um pudesse criar uma pipa de memórias, para depois sairmos todos juntos passeando com essas memórias e contando para outras pessoas as nossas histórias. 

 

Em duas mesas foram dispostos elementos para composição:

 

- lacinhos, mini-cata-ventos, adereços e miudezas, fitas coloridas e fitilhos, hidrocores para escreverem memórias, cola, tesoura e 250 adesivos variados. Esses adesivos continham imagens de ícones, celebridades antigas, objetos, cenários ligados à infância e ao jogo, marcas de produtos e serviços de outros tempos, capas de revistas de novelas passadas, fotos e registros de famílias antigas e costumes culturais e religiosos , entre outros. Essas imagens foram importantes ativadores da proposta, pois cada um dos participantes escolheu alguns adesivos para ilustrar suas memórias, cada imagem provocou alguma lembrança e em alguns casos, eram trocadas impressões sobre alguns assuntos, elementos e costumes antigos comuns a todos, etc. Enquanto adereçavam as pipas, um papo descontraído se instalou no espaço, repleto de memórias evocadas. Nesta etapa tivemos o apoio e mediação da atividade pelos artistas Marcelo Asth, Rafael Rodrigues e Francisco Gregorio.

 2ª parte: 

 

Para o nosso passeio com as memórias, as pipas foram amarradas a grandes balões com gás hélio que fizeram as pipas serem içadas, sendo levadas às alturas. Balões coloridos suspenderam as memórias e com tudo finalizado, saímos pelo espaço do Sesc Parque Radical interagindo uns com os outros e com os passantes, que ouviam as memórias em passeio. Durante toda a atividade contamos com o registro audiovisual de Pedro Martins, do Semáforo Afogado (projeto de cinema e performance), que irá editar uma videoperformance de mesmo título.

 

Filmamos relatos de senhoras contando suas histórias e suas opções para feitura das pipas, como a escolha dos adesivos. Uma das senhoras inclusive apontou para um adesivo de família antiga desconhecida e foi indicando quem era: "esse era meu pai, minha mãe é essa aqui...". Memórias são para serem vividas e reverenciadas! Por isso elas estão em tudo, é só estampar! Em uma pipa, em um balão, em um encontro...

 

 AVOOS  são histórias de nossos avôs e avós, são nossos voos para o passado e para o nosso futuro. 

 

O Projeto Performanciã agradece a equipe do Sesc Parque Radical, a Gaspar Pipas (César - Piedade) e a Lollipop Balões pelos serviços profissionais e parceria na execução da ideia da suspensão das pipas.

   © 2013 | 2020      PROJETO PERFORMANCIà