SOBRE O PROJETO PERFORMANCIà

Após 3 anos trabalhando como professor-facilitador de teatro para um grupo da terceira idade, já percorrendo caminhos artísticos enquanto performer, busquei pesquisar por performances que tratassem o tema da velhice aqui no Brasil.

Vemos no cenário da arte performática, grande foco em performances que abordam questões de estética, ecologia, gênero, sexo, estética queer, racismo, preconceito, xenofobia, entre outros. Porém, observando que aqui neste país eram raras as ocorrências práticas neste sentido específico e a partir da constatação da ausência de produção bibliográfica neste viés, decidi, em meu projeto de Mestrado, investigar e abordar tais assuntos, realizando uma pesquisa-intervenção - uma pesquisa teórica, prática e laboratorial - que descobrisse de modo performativo e cartográfico, os assuntos conexos ao envelhecimento, através da criação (e da reflexão) de uma série pioneira de performances sobre o tema do envelhecimento humano no Brasil - realizada pela/para/com a própria 3ª idade.

 

Durante o mestrado, o PROJETO PERFORMANCIÃ foi ganhando corpo, forma e voz, através dos conceitos de ARTE COMUNITÁRIA, ARTE PARTICIPATIVA e ARTE SOCIALMENTE ENGAJADA, atravessados pelos pensamentos das práticas dos cuidados de si/na hermenêutica do sujeito (Foucault) e na ecosofia (Três Ecologias, de Guattari) – alicerces para alcançar um empoderamento das subjetividades (ou "despoderamento das opressões cotidianas"  sofridas pelos idosos ), uma reinvenção dos projetos pessoais de vida e um estado de cura pessoal e social.

No doutorado, a pesquisa da performatividade no envelhecimento se amplia. Agradeço a CAPES pelo apoio oferecido através de bolsa científica nos dois primeiros anos de pesquisa e à FAPERJ pela concessão de bolsa e premiação Doutorado NOTA 10 nos dois anos finais de meu projeto no doutoramento.

Nesse projeto, discutimos a abertura no cenário da arte contemporânea para propostas engajadas em aspectos sociais que tratam dos problemas do mundo atual.

 

Além do caráter híbrido que a performance abarca, o PROJETO PERFORMANCIÃ apresenta formas híbridas de investigação, sendo um projeto transdisciplinar que lida com arte performática, sociologia, antropologia, filosofia, medicina (geriatria/ gerontologia) e engajamento político-social.

 

Atualmente, o PROJETO PERFORMANCIÃ realiza oficinas e performances em diversos locais e grupos de terceira idade (como em SESC's), sendo também foco de investigação em minha atual pesquisa de Doutorado (com orientação da Profª Drª Tania Alice Caplain Feix), compondo o mapeamento de ações para a criação de uma Cartografia Brasileira do Envelhecimento na Performance.      

O PROJETO PERFORMANCIÃ é parceiro e parte integrante da plataforma PERFORMERS SEM FRONTEIRAS - uma plataforma de atendimentos de emergências pontuais ou crônicas com performances, pesquisando esta nova modalidade do performer de estar no mundo e intervindo em regiões de emergência, realizando experiências em contextos pós-traumáticos no Brasil e no mundo.

Todos os participantes com mais de 60 anos

 

Este projeto não existe sem a participação, colaboração, criação e atuação das diversas pessoas com mais de 60 anos que participaram e participam do PROJETO PERFORMANCIÃ.

 

A toda essa numerosa equipe de parceiros (que não para de crescer), eterna gratidão em confiar no potencial e nas ideias desse projeto

MARCELO ASTH

Idealizador do Projeto Performanciã e oficineiro-facilitador dos processos das Oficinas de Performanciãs, participa da realização, co-criação e divulgação das performances do projeto.

Professor de Artes Cênicas no Centro Universitário Celso Lisboa. 

Doutor (2020) e Mestre (2015) em Artes Cênicas (linha de pesquisa em performance / PPGAC UNIRIO). Investiga conexões entre performance e velhice para a criação de uma Cartografia do envelhecimento na performance brasileira. 
 

TANIA ALICE

 

Artista, performer, professora universitária e pesquisadora. 

 

Orientadora nas pesquisas de Mestrado ("Projeto Performanciã: performances do envelhecimento") e de Doutorado ("Performances do Envelhecimento no Brasil: uma cartografia") de Marcelo Asth, no PPGAC UNIRIO.

Please reload

 EQUIPE 

por Marcelo Asth

A logo de comemoração dos 5 anos do Projeto Performanciã é um projeto realizado pela designer e "desenhadora" Mayra Muniz.

 

Um agradecimento especial por essa parceria!

E o Projeto Performanciã integra um mapeamento sobre a performance no Brasil e na América Latina, o MAPA (Mucha Acción Pan Americana), realizado pela  LA PLATAFORMANCE  - uma plataforma pública de trabalho colaborativo que tem como foco a arte da performance.

Este mapeamento reúne projetos, eventos e festivais em um circuito de iniciativas que promovem a arte da performance em nosso país. Esse mapeamento auxilia as iniciativas integrantes desse circuito enquanto um processo para o compartilhamento de experiências, além de facilitar uma visão panorâmica de propostas de atuação na arte da performance.

 

www.laplataformance.blogspot.com.br

www.facebook.com/laplataformance

   © 2013 | 2020      PROJETO PERFORMANCIà